terça-feira, maio 04, 2010

Escolhas nem sempre são possíveis
ainda que se escolha reafirmá-las nos dias
até o último.
Qureres têm que nos querer.

Permanece um poste ou uma lua gorda
iluminando a calçada, a calada,
mas sentimentos medos
sombreiam os peitos.

Um facho sai de tuas mãos.


4 comentários:

Í.ta** disse...

escolher é uma dor.

Luzzsh disse...

Lindo!

Lelêmos, timidamente, venho voltando aos pouquinhos...saudades tantas!!!...

Me visita?

www.ocarmim.blogspot.com

Beijosssss

Ramon Alcântara disse...

Somos escolhas e possibilidades, mesmo quando seremos a possibilidade da impossibilidade da escolha.

abz

José Rosa (ZeRo S/A) disse...

Luz e sombra...a dicotomia da vida...Mais um belo poema.